Pular para o conteúdo principal

Joelhos corrida e fortalecimento muscular

"O impacto de cada passada numa corrida impõe aos joelhos uma sobrecarga que chega a cinco vezes o peso do corpo do praticante. Com o tempo, se não houver o preparo adequado da musculatura dos membros inferiores, o joelho passa a sofrerum processo de desgaste, levando a lesões meniscais e cartilaginosas"revela o Dr. Paulo Henrique Araujo , cirurgião ortopedista especializado em trauma ortopédico e cirurgia de joelho, membro das Sociedades Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).
Os meios de comunicação incentivam a prática de atividades físicas, e isso é ótimo. No entanto, é preciso orientar as pessoas a maneira adequada de praticá-las. De certa forma, a superação e a dor fazem parte da cultura do esporte, mas do ponto de vista da saúde isso não é bom. “A dor é um alarme do corpo”, afirma Dr. Marcio Ferreira, ortopedista do Hcor.
Segundo o ortopedista, as lesões nos joelhos são comuns em parte pela anatomia da articulação, mas principalmente pelo hábitos de vida das pessoas. É o que eu chamo de “Tripé da Consulta”: o sobrepeso, a falta de condicionamento e a falta de orientação”, afirma o Dr. Ferreira.
A articulação do joelho depende muito da musculatura para não ser sobrecarregada. Por isso, sair correndo por aí sem estar preparado não é a melhor maneira de melhorar sua condição física e vencer o sedentarismo. Antes de iniciar treinos de corrida veja as dicas para começar a correr e faça exames clínicos e ortopédicos.
Iniciar a prática esportiva com exercícios de baixo impacto, aumentando a intensidade e a carga gradativamente, são alternativas para não sobrecarregar os joelhos.
Uma das principais medidas para manter seus joelhos seguros é começar a prática de exercícios aeróbicos com atividades de baixo impacto (caminhadas, bicicleta ergométrica, elípticos e atividades hídricas – hidroginástica e natação). A intensidade e a duração devem ser aumentadas de acordo com o ganho de condicionamento físico. Ao mesmo tempo um programa de fortalecimento muscular deve ser inciado para agregar força e resistência ao corpo e permitir uma evolução física sadia.
Deve-se ressaltar que as pessoas possuem características físicas diferentes, como idade, biotipo, peso, capacidade física inicial e até mesmo alguma doença pré-existente. Portanto as orientações devem ser sempre individualizadas.
“O ideal é que a pessoa tenha orientação de um profissional para a realização das atividades, e comece o fortalecimento muscular com exercícios isométricos evoluindo para os isotônicos, objetivando sempre força e resistência. A duração e intensidade de carga dos exercícios devem ser crescentes, aumentando cerca de 10% a 20% por semana, para que o corpo aceite bem o acréscimo de esforço, minimizando, assim, as chances de lesões” explica Dr. Ferreira.
Adotar estas medidas é importante, pois o tratamento das lesões por sobrecarga articular geralmente não se resolve na velocidade que os atletas desejam, sendo que algumas ainda podem necessitar de reparo cirúrgico. Não podemos esquecer que as dores e lesões provocam frustrações e desânimo, fatores estes que contribuem para o abandono das atividades físicas.
O segredo para manter os joelhos livres das dores, segundo o ortopedista, está na opção e adoção consciente de hábitos de vida saudáveis, e não esquecer de dedicar parte dos treinos à prevenção. “Falta prevenção e sobra transpiração. Na maioria das consultas que tenho, preciso orientar o paciente a adotar novos hábitos esportivos. Muitas vezes, a ação de melhora clínica cabe somente a algumas mudanças no padrão das atividades que as próprias pessoas realizam, não necessitando de nenhuma intervenção terapêutica”. Analisa.
Portanto, vale a pena cumprir todas as etapas de adaptação aos treinos e evoluir gradativamente com os esforços, afinal quanto mais fortalecida estiver a musculatura, menor serão as chances de lesões nos joelhos.
Matéria da revista Hcor Saúde – Publicação do Hospital do coração Hcor

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em 2018 qual valor cobrar para o serviço de personal trainer?

VALOR DE SERVIÇOS PARA PERSONAL TRAINER



2018 está chegando e com ele surge uma dúvida: Qual valor cobrar pelos serviços prestados? O Personal Trainer, profissional de educação física, contratado para o atendimento exclusivo na avaliação, prescrição e acompanhamento de treinamento, deve estar atento ao cenário econômico atual ao repassar os valores dos seus serviços para o mercado fitness brasileiro. Como todo profissional autônomo , a manutenção dos custos para o desenvolver da função do personal trainer devem ser mantidos através da captação de recursos financeiros pela prestação dos serviços ofertados. Sendo assim, a sugestão é indexar esses serviços em um índice relevante na economia nacional. A sugestão desse artigo, como possível índice indexador é o salário mínimo nacional, que em 2018 passa a ser de R$ 969,00 (Novecentos e sessenta e nove reais), por um total de 12 treinos assistidos durante o mês; com esse dado chegaremos a um valor médio de hora aula de R$ 80,75 ( Oitenta reais…

IMC não reflete a composição corporal

Entenda de uma vez por todas que  1 kilo vai ser sempre 1 kilo  e pronto!  não é que um "pesa mais que o outro", mas sim uma questão de densidade. A densidade relaciona a massa de um material ao volume que ele ocupa
É significativa a diferença entre massa e volume da gordura e do músculo.  Porém, ao comparar músculo e gordura, chega-se à seguinte conclusão: o músculo é muito mais compacto. Um quilo de gordura é mais volumoso, ocupando muito mais espaço.
Veja bem 100 kilos de músculos ocupam menos espaço comparados com os mesmos 100 kilos de gordura. E no entanto ambos tem o mesmo IMC.










Impacto da prática de exercícios físicos sobre a variável psicológica da auto estima

Você sabe o que é auto estima? Tem idéia da relação que existe entre a prática regular de exercício físico e a variável psicológica da auto estima?

Rosenberg & Simmons (1972, cit. em Batista, 1995) referem que a auto-estima é um constructo  (constructo -substantivo masculino 1construção puramente mental, criada a partir de elementos mais simples, para ser parte de uma teoria. 2.psicobjeto de percepção ou pensamento formado pela combinação de impressões passadas e presentes.)multidimensional, que reflete todos os sentimentos de autovalor relativos ao comportamento, aparência física, inteligência, com o Eu emocional e o Eu social. Posteriormente, o mesmo autor, define auto-estima como a avaliação que o indivíduo faz a respeito do seu próprio valor com base em informações de pessoas que ele considera importantes (amigos, família e professores) e nas auto-percepções em diversos domínios (profissional, físico, familiar). 
A prática regular de exercícios físicos acarreta benefícios a…