Pular para o conteúdo principal

AGACHAMENTO PROFUNDO

Certamente entre todos os tipos e modalidades de exercícios físicos, o que mais gera questionamentos, e opiniões diferentes é o agachamento.

Devido à facilidade no acesso às informações,  ficamos expostos a tantas opiniões que  atletas e praticantes de atividade física em geral acabam não sabendo  em quem confiar.  
De postagens de blogueiras/os disfarçadas/os de experts na área, referências em estudos que nunca existiram até as divergências entre os profissionais da área da fisio e da própria educação física. 
Ainda existem linhas que condenam a realização do agachamento, afirmam que são destrutivos para as articulações dos joelhos. Na academia tradicional, a lei mais defendida é não agachar além dos 90 graus do joelho. Essas orientações são resultados das definições de vários estudos antigos. Mas ainda existem estudos considerados atuais (UCHIDA et al., 2003; PINTO 2006; MARCHETTI et al., 2007), que apontam a existência de uma sobrecarga prejudicial na patela quando o joelho ultrapassasse essa amplitude. Mas, acreditem, as interpretações tendenciosas dos “idealizadores” são as grandes causas desse raciocínio.  Se o joelho fosse composto apenas pela força vetorial do quadríceps, esse pensamento seria correto. Mas, graças a Deus, temos outros grupos musculares que trabalham em associação (co-contração) principalmente na cadeia cinética fechada, como é o caso do agachamento.

Nos treinamentos mais atuais, principalmente no CrossFit, a palavra de ordem é descer até o chão. Chamado de Deep Squat, ou simplesmente Agachamento Profundo, esse pensamento já é defendido e comprovado, através de vários estudos (FAIRCHILD et al., 1993; WEISS et al., 2000 e vários outros) pelos benefícios lógicos do aumento proporcional do recrutamento muscular. Logo, o agachamento profundo pode ser usado com segurança, já quanto maior for a flexão dos joelhos, maior também será o trabalho muscular, consequentemente menor seriam as pressões exercidas nas estruturas articulares e ligamentares.
Não precisa nem falar da questão da funcionalidade, né? Se nossas estruturas musculares e articulares se adaptam de forma específica aos movimentos que praticamos, indivíduos que utilizam amplitudes reduzidas poderiam se lesionar em uma atividade cotidiana pelo simples fato de não treinar um determinado ângulo de movimento. Resultado: limitar o agachamento em amplitude, além de diminuir a eficiência do exercício, pode prejudicar a funcionalidade em movimentos do dia a dia.


Postagens mais visitadas deste blog

Em 2018 qual valor cobrar para o serviço de personal trainer?

VALOR DE SERVIÇOS PARA PERSONAL TRAINER



2018 está chegando e com ele surge uma dúvida: Qual valor cobrar pelos serviços prestados? O Personal Trainer, profissional de educação física, contratado para o atendimento exclusivo na avaliação, prescrição e acompanhamento de treinamento, deve estar atento ao cenário econômico atual ao repassar os valores dos seus serviços para o mercado fitness brasileiro. Como todo profissional autônomo , a manutenção dos custos para o desenvolver da função do personal trainer devem ser mantidos através da captação de recursos financeiros pela prestação dos serviços ofertados. Sendo assim, a sugestão é indexar esses serviços em um índice relevante na economia nacional. A sugestão desse artigo, como possível índice indexador é o salário mínimo nacional, que em 2018 passa a ser de R$ 969,00 (Novecentos e sessenta e nove reais), por um total de 12 treinos assistidos durante o mês; com esse dado chegaremos a um valor médio de hora aula de R$ 80,75 ( Oitenta reais…

IMC não reflete a composição corporal

Entenda de uma vez por todas que  1 kilo vai ser sempre 1 kilo  e pronto!  não é que um "pesa mais que o outro", mas sim uma questão de densidade. A densidade relaciona a massa de um material ao volume que ele ocupa
É significativa a diferença entre massa e volume da gordura e do músculo.  Porém, ao comparar músculo e gordura, chega-se à seguinte conclusão: o músculo é muito mais compacto. Um quilo de gordura é mais volumoso, ocupando muito mais espaço.
Veja bem 100 kilos de músculos ocupam menos espaço comparados com os mesmos 100 kilos de gordura. E no entanto ambos tem o mesmo IMC.










Impacto da prática de exercícios físicos sobre a variável psicológica da auto estima

Você sabe o que é auto estima? Tem idéia da relação que existe entre a prática regular de exercício físico e a variável psicológica da auto estima?

Rosenberg & Simmons (1972, cit. em Batista, 1995) referem que a auto-estima é um constructo  (constructo -substantivo masculino 1construção puramente mental, criada a partir de elementos mais simples, para ser parte de uma teoria. 2.psicobjeto de percepção ou pensamento formado pela combinação de impressões passadas e presentes.)multidimensional, que reflete todos os sentimentos de autovalor relativos ao comportamento, aparência física, inteligência, com o Eu emocional e o Eu social. Posteriormente, o mesmo autor, define auto-estima como a avaliação que o indivíduo faz a respeito do seu próprio valor com base em informações de pessoas que ele considera importantes (amigos, família e professores) e nas auto-percepções em diversos domínios (profissional, físico, familiar). 
A prática regular de exercícios físicos acarreta benefícios a…