Pular para o conteúdo principal

Ganho de massa muscular

A massa muscular (músculos) é importante não só para aqueles que praticam atividade física. Com ela  a gente reduz lesões, melhora a capacidade funcional do corpo e vários estudos apontam e relacionam o ganho de massa muscular com uma maior longevidade.
Mas a questão é : Como ganhar massa muscular?


Inicialmente é importante explicar como funciona o processo de ganho de massa. 

Pense que quando um músculo é "posto à prova", quando sofre um desgaste , ele tenta "se proteger" para que você não sinta mais o efeito do exercício. Desta forma o músculo cria uma "proteção" uma camada mais espessa para que você não sofra mais  os danos que você causou fazendo o exercício.

Então o mecanismo de ganho de massa é uma SUPERCOMPENSAÇÃO do seu corpo quando esse tecido é degradado.
Basicamente três são os fatores que mais influenciam no processo de ganho de massa muscular. São eles:

TREINAMENTO                                 ALIMENTAÇÃO                            SONO/DESCANSO


Em relação ao treinamento , os exercícios contra uma resistência , treinos de força, são os que mais geram lesão nesse tecido muscular para que seja necessário o mecanismo de SUPERCOMPENSAÇÃO para aumento de volume.

Já alimentação é fundamental ser rica em proteínas e aminoácidos que serão utilizados como nutrientes desse tecido. As proteínas e os aminoácidos são os chamados blocos construtores.
Então para que você ganhe massa muscular é necessário a ingestão desses nutrientes em quantidades adequadas e nada melhor que o apoio de um nutricionista para ajudar nesse quesito.

Já a recuperação é um item muito negligenciado e muitas pessoas não dão bola para isso, mas o sono e principalmente a qualidade do sono , bem como o período de intervalo entre um treinamento e outro fazem toda a diferença para que você tenha êxito nesse processo. É durante o sono  que são produzidos os hormônios e um bom sono aumenta essa produção e um período de descanso adequado entre um treinamento e outro faz com que o músculo se adapte e não sofra mais como sofreu no treinamento anterior.

Espero que tenham gostado.
Consulte sempre um profissional formado , com registro no CREF e um nutricionista para melhor orientá-los.
Grande abraço
Lydia Guerreiro
CREF 093625 Sp




Postagens mais visitadas deste blog

Em 2018 qual valor cobrar para o serviço de personal trainer?

VALOR DE SERVIÇOS PARA PERSONAL TRAINER



2018 está chegando e com ele surge uma dúvida: Qual valor cobrar pelos serviços prestados? O Personal Trainer, profissional de educação física, contratado para o atendimento exclusivo na avaliação, prescrição e acompanhamento de treinamento, deve estar atento ao cenário econômico atual ao repassar os valores dos seus serviços para o mercado fitness brasileiro. Como todo profissional autônomo , a manutenção dos custos para o desenvolver da função do personal trainer devem ser mantidos através da captação de recursos financeiros pela prestação dos serviços ofertados. Sendo assim, a sugestão é indexar esses serviços em um índice relevante na economia nacional. A sugestão desse artigo, como possível índice indexador é o salário mínimo nacional, que em 2018 passa a ser de R$ 969,00 (Novecentos e sessenta e nove reais), por um total de 12 treinos assistidos durante o mês; com esse dado chegaremos a um valor médio de hora aula de R$ 80,75 ( Oitenta reais…

IMC não reflete a composição corporal

Entenda de uma vez por todas que  1 kilo vai ser sempre 1 kilo  e pronto!  não é que um "pesa mais que o outro", mas sim uma questão de densidade. A densidade relaciona a massa de um material ao volume que ele ocupa
É significativa a diferença entre massa e volume da gordura e do músculo.  Porém, ao comparar músculo e gordura, chega-se à seguinte conclusão: o músculo é muito mais compacto. Um quilo de gordura é mais volumoso, ocupando muito mais espaço.
Veja bem 100 kilos de músculos ocupam menos espaço comparados com os mesmos 100 kilos de gordura. E no entanto ambos tem o mesmo IMC.










Previna a Depressão com exercícios fisicos

A depressão é o mal que predomina nas consultas psiquiátricas e de psicologia clínica. Em  breve, ela poderá ocupar o segundo lugar entre as causas de doenças e de incapacidade, ficando atrás apenas dos problemas cardiovasculares.
Com suas variações correspondentes, a depressão afeta crianças, jovens, adultos, e idosos; homens, mulheres; pessoas de todas as classes; ricos e pobres. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que há mais de 100 milhões de pessoas deprimidas no mundo.
Sofrer um grande desgosto, ter preocupação excessiva ou sentir-se estressado pelo excesso de trabalho não significa necessariamente estar com depressão. Entretanto, essas alterações emocionais podem ser o início dela, e é necessário estar atento para que não se prolonguem demasiadamente.
Os sintomas da depressão são inúmeros, e o diagnóstico não é confirmado como tal até que apareçam vários deles de forma regular no período de duas semanas e , ao menos, um dos sintomas deve ser a tristeza ou a perda de inter…